Com volume de vendas no acumulado de 12 meses de 5,8%, Maranhão mantém evolução no varejo restrito acima do nível nacional, aponta Imesc
Publicado em 08/01/2019

O comércio maranhense segue em constante evolução no varejo restrito, mantendo-se acima do nível nacional desde abril de 2017. É o que aponta a Nota de Comércio Varejista divulgada pelo Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc) esta semana, referente aos meses de setembro e outubro de 2018.

A análise completa da Nota encontra-se disponível no site do Imesc, pelo link: http://imesc.ma.gov.br/portal/Post/view/20/270.

De acordo com a nota, os resultados apresentados pelo comércio maranhense são superiores ao mesmo período do ano anterior, com avanço de 5,6% em outubro e de 7,9% quando somado a setembro, em vendas físicas.

O volume de vendas no acumulado de 12 meses do restrito maranhense foi de 5,8%, o dobro do apresentado em âmbito nacional, que foi de 2,7% neste mesmo comparativo. Assim, o Maranhão se mantém em alta no varejo restrito, se consolidando novamente acima do nível nacional, mantendo o posto estabelecido desde abril de 2017.

Intenção de Consumo das Famílias

Um dos pontos de destaque da Nota de Comércio Varejista é a Intenção de Consumo das Famílias (ICF), que alcançou 105 pontos em dezembro, atingindo seu maior nível desde julho de 2015, quando marcou 108,6 pontos. “O avanço de 3,2 pontos percentuais na variação mensal indica que os consumidores ludovicenses estão otimistas em relação a sua perspectiva de consumo para o último mês do ano”, pontua Felipe de Holanda, presidente do Imesc.

Segundo o presidente, o otimismo em alta se dá, também, pelo aumento de contratações na economia local, com 591 novos postos de trabalho apenas na aglomeração urbana de São Luís conforme dados do CAGED para novembro.

Dentro do ICF, a maior alta mensal foi do subcomponente momento para duráveis que subiu 17,7% em função do impacto positivo de R$ 3 bilhões do decimo terceiro salário na economia maranhense, segundo dados do DIEESE.

Confiança do Empresário do Comércio

Outro destaque da nota revela que a confiança do empresário da capital maranhense alcançou 116,6 pontos - maior patamar desde dezembro de 2014, quando o ICEC alcançou 120,5 pontos.

“O avanço mensal de 3,4 pontos percentuais do otimismo empresarial em dezembro se deve a melhora da percepção em relação às condições atuais da economia que avançaram 11% e das condições futuras da economia que subiu 4,9% dentro do indicador. Já o avanço de 3,5% no nível de investimentos das empresas segundo o indicador sugere aumento do volume de estoques, em face da esperada elevação do quantitativo de vendas para o comércio durante todo o mês de dezembro, dado a entrada do decimo terceiro salário em que os recursos equivalem a 3,2% do PIB e beneficia 1.848.111 trabalhadores do mercado formal maranhense”, conclui Felipe de Holanda.

Nota de Comércio Varejista

A nota de Comércio Varejista é um dos produtos do Boletim de Conjuntura Econômica, que analisa o comportamento do comércio varejista por meio dos dados da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgada pelo IBGE e das pesquisas de Endividamento e Inadimplência e Intenção de Consumo das Famílias Ludovicenses, ambas realizadas pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Maranhão (Fecomércio/MA).