» Artigos do Presidente

A Estratégia de Desenvolvimento 2030 e o Sistema de Informações do Maranhão

Avanços extraordinários foram registrados no Sistema de Planejamento do Governo do Maranhão, desde 2015, sob a liderança do Governador Flávio Dino. Avançamos na capacidade de realizar diagnósticos setoriais e territoriais, na construção de um sistema de indicadores de processo, de resultados e de impactos sociais, assim como na integração de múltiplas bases de informações, com o aperfeiçoamento das práticas orçamentárias (Plano Plurianual, LDO e LOA, coordenado pela SEPLAN M...

Pesquisa do IBGE aponta redução da ocupação maranhense, com aumento contracíclico do emprego público

Os dados da PNADc para o Maranhão relativos ao 3º trimestre de 2018 mostram que a taxa de desocupação recuou de 14,6% para 13,8% da população ocupada, entre os 3os trimestres de 2017 e 2018. Na Região Nordeste, a taxa de desocupação caiu de 15,9% para 14,4%, enquanto que no nível agregado nacional, o indicador recuou de 13,1% para 11,9%, colocando o Estado do Maranhão com a sétima maior taxa de desocupação do país. De acordo com o estudo do IBGE, o Estado do Mar...

Cenários do Governo Bolsonaro: os primeiros 6 meses

Nos primeiros dias do Presidente Jair Bolsonaro, recém eleito, suas declarações, os posicionamentos dos coordenadores da transição política (Onyx Lorenzoni – DEM/RS) e da transição econômica com Paulo Guedes, permitiram dissipar algumas incertezas a respeito do novo governo, assim como abriram um conjunto de questionamentos que geram novas incertezas. Alguns pontos importantes devem ser salientados, no exercício de construção de cenários para a economia brasileira e a economia ...

Qual o seu projeto para o Brasil?

A análise de conjuntura econômica recomenda construir dois cenários alternativos da política econômica posta em marcha nos primeiros 180 dias de Governo: o período que costuma durar a lua de mel, ou a reserva de paciência, do eleitorado. Para contextualizar as propostas, devemos partir do diagnóstico macroeconômico básico do período 2014-2018. Mesmo com a incipiente recuperação após o início de 2017, o PIB brasileiro ainda se encontra 4,4% abaixo de 2014, com de 10,3% d...

A escolha neste 7 de outubro e a visão de futuro sobre o Maranhão e o Brasil

Na área da gestão pública, o Governo do Maranhão tem se destacado no cenário nacional pela capacidade de entrega, tendo sido avaliado pelo site G1 da Globo, por dois anos seguidos, como aquele que mais cumpriu promessas de campanha. Na área da gestão fiscal, destaca-se a redução de despesas com serviços intangíveis e a ampliação dos investimentos em infraestrutura, com recursos próprios e com a reorientação de empréstimos herdados do Governo anterior. O Maranhão destacou-se ...

Rankings de Competitividade nos Estados: ferramenta de planejamento em construção

Nesta semana foi amplamente divulgado pelos meios de comunicação de todo o Brasil, um estudo comparativo denominado de competitividade dos Estados, iniciativa do Centro de Liderança Pública (CLP), em parceria com a B3 (Brasil, Bolsa, Balcão), Economist Intelligence Unit e Tendências Consultoria Integrada. A iniciativa tem por objetivo “pautar a atuação dos líderes públicos na melhoria da competitividade dos seus Estados”. Sua metodologia de cálculo baseia-se em 10 pilares estra...

MA 006 transita entre o passado e o futuro do Maranhão

Nem todos os maranhenses sabem, mas a rodovia MA 006, com seus 1.225 Km, a maior do Estado, ligando os municípios de Alto Parnaíba a Cururupu, foi construída na década de 1980 para funcionar como o grande eixo articulador entre o Norte e o Sul do Estado. Em 2015, no início da atual gestão, a situação da estrada, em muitos trechos, se encontrava completamente comprometida, dado o continuado descaso de várias gestões anteriores e o fato de que o fluxo de cargas, principalmente oriunda...

O fracasso do “austericídio” e o diagnóstico da crise brasileira

Findos 7 semestres do início do ajuste fiscal ortodoxo no Brasil, avolumam-se os indicadores de que a estratégia se revelou um contundente fracasso, inclusive no que tange à piora da situação fiscal. A elevação da taxa básica de juros a 14,25%, quando já era visível a recessão e a reversão dos impactos do “tarifaço” sobre a inflação, além de gerar uma violenta contração do crédito e explosão da inadimplência, elevou o serviço da Dívida Pública Federal a espantosos ...

Entrevista do Presidente do IMESC Felipe de Holanda ao Jornal Pequeno

Em entrevista ao Jornal Pequeno, o economista e presidente do Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc), Felipe de Holanda, avalia os efeitos da crise nacional na Região Nordeste e aponta possibilidades de retomada do crescimento diante dos desafios crescentes enfrentados pelos gestores públicos JP – Por que precisamos falar sobre o Nordeste? Felipe de Holanda - No início de maio, tive a oportunidade de comentar neste espaç...

Precisamos falar sobre o Nordeste

No início de maio, tive a oportunidade de comentar neste espaço sobre o agravamento dos desequilíbrios regionais no Brasil a partir de 2012 e, com muito mais força, a partir da grande tempestade recessiva de 2014 a 2016. Dois fatores se juntaram para produzir no Nordeste um impacto da recessão maior que na média nacional. A crise hídrica, que se agravou drasticamente nos anos de 2015 e 2016, produziu uma forte contração na produção agropecuária, com impactos severos na estrutura d...

Estimativas e projeções do crescimento do PIB maranhense: o direito da população à informação qualificada

O Jornal O Estado do Maranhão veiculou matéria na terça-feira (31), na qual estima-se que o PIB Real do Estado do Maranhão teria registrado contração de 11,5% no biênio 2016-17. Foi uma notícia impactante, haja vista as previsões amplamente disseminadas entre especialistas, de que o Estado do Maranhão, em 2017, teria sido um dos estados líderes em termos de crescimento no Brasil. Na matéria publicada no Jornal O Estado do Maranhão, cita-se que “As informações foram divulgadas...

A visita do Presidente do IBGE ao Maranhão e os avanços do Sistema de Planejamento do Estado

Nesta semana que findou recebemos a honrosa visita ao Maranhão do Presidente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, Roberto Olinto, acompanhado por importantes técnicos e gestores da instituição. Na quarta-feira, 25/07, em audiência com o Governador Flávio Dino, foi assinado um convênio entre o IBGE, a Secretaria de Estado da Fazenda-SEFAZ e o IMESC versando sobre o compartilhamento e integração de registros administrativos para a ampliação do Sistema de Cont...

A estratégia ODS 2030 e os avanços no Sistema de Planejamento do Estado do Maranhão

Em setembro de 2015, Chefes de Estado e representantes dos 193 Estados-membros da Organização das Nações Unidas (ONU) se reuniram na cidade de Nova Iorque e firmaram o compromisso de erradicar a pobreza em todas as suas formas e dimensões, incluindo a pobreza extrema, aliado ao compromisso de promover o desenvolvimento sustentável. O encontro significou a continuidade da iniciativa similar surgida nos anos 2000: os Objetivos do Milênio (ODM), que impulsionaram políticas públicas e re...

Cenários internacional e nacional ampliam incertezas e trazem novos desafios para a gestão fiscal maranhense

Christiane Lagarde, Diretora-Chefe do FMI, afirmou, em evento recente, que “nuvens escuras se acumulam no horizonte do crescimento econômico mundial”. Vivemos a fase final de um ciclo de crescimento sincronizado entre os principais blocos da economia globalizada. Os Estados Unidos, sob a presidência de Trump, convivem com robustas taxas de crescimento econômico, “pleno emprego”, com taxas de desocupação em mínimos históricos de 20 anos, embora com inegável deterioração da qu...

Censo Agropecuário revela vertiginosas mudanças no campo maranhense

Tivemos o privilégio de comparecer à divulgação dos resultados preliminares do Censo Agropecuário realizado no Estado do Maranhão, na última quinta-feira, 14/06, no auditório da CONAB, nesta capital. Em uma conjuntura de fortes restrições financeiras, o IBGE inovou com a utilização de tecnologia de ponta para cumprir o enorme desafio de realizar em 5 meses o mapeamento completo do campo maranhense. Foram mobilizados mais de 1,2 mil pesquisadores, técnicos e supervisores. A utiliz...

O ciclo vicioso da estagnação brasileira e a política autofágica do ajuste recessivo permanente

A retomada da atividade econômica no Brasil perdeu fôlego e o país resvala para a estagnação, ou algo pior. O IBGE divulgou na semana que se encerra o resultado do PIB para o 1º trimestre de 2018. O indicador avançou 0,4%, em comparação com o trimestre anterior (feito o ajuste sazonal), e apenas 1,3% no acumulado de 12 meses. Por conta deste resultado, e da persistência de enorme ociosidade na indústria, assim como na estrutura ocupacional, os analistas de mercado reduziram a expec...

Zoneamento Ecológico-Econômico Maranhense acelera os trabalhos e entra na fase de Cenarização Prospectiva

Encontra-se em andamento acelerado um importante estudo territorial, denominado Zoneamento Ecológico-Econômico (ZEE) do Bioma Amazônico Maranhense. De acordo com o Decreto Federal nº 4.297/2002, o ZEE constitui, para todas as unidades da federação, um instrumento de ordenamento territorial que deve ser “obrigatoriamente seguido na implantação de planos, obras e atividades públicas e privadas” (Art. 2º). Dessa forma, o ZEE busca conciliar os macro objetivos do desenvolvimento soc...

O agravamento da questão regional e a urgência de financiar o investimento público estruturante

A partir de 2012 e, com muito mais força, a partir da grande tempestade recessiva de 2014 a 2016, os desequilíbrios regionais voltaram a se agravar no Brasil. A crise fiscal-financeira do Governo Federal deu origem a uma dramática compressão dos gastos federais, em suas várias modalidades, e com maior impacto sobre o emprego e a estrutura produtiva nos Estados das regiões Norte e Nordeste. Tal compressão, ao desestruturar o padrão do financiamento público dos Estados das regiões mai...