Oficina comunitária em Morros discute Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado
Publicado em 06/03/2018
 
Nesta terça-feira (06), o município de Morros recebeu a Oficina de Leitura Comunitária do Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado (PDDI), realizado pelo Governo do Estado do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado das Cidades e Desenvolvimento Urbano (SECID) e em parceria com a Agência Estadual Metropolitana (AGEM) e o Instituto de Estudos Cartográficos Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos do Maranhão (Imesc).
 
A elaboração do PDDI é parte de um processo dinâmico e permanente de planejamento da Região Metropolitana da Grande São Luís, que conta com 13 municípios mapeados, para nortear ações de curto, médio e longo prazo.
 
O PDDI foi elaborado em duas fases: o Diagnóstico Sociodemográfico, Econômico e Territorial; e a fase de Planejamento e Prognósticos. As oficinas fazem parte do Diagnóstico Sociodemográfico, Econômico e Territorial e tem o objetivo de apresentar e discutir com as comunidades a Leitura Técnica realizada pelos pesquisadores e profissionais para entender a situação atual e as relações que se estabelecem entre os municípios da Região Metropolitana.
 
Em Morros, foram debatidos diversos indicadores encontrados no município, entrando em temas como mobilidade urbana, mercado de trabalho, resíduos sólidos, gestão pública e cultural, entre outros.
 
O coordenador estadual do Zoneamento Ecológico-Econômico (ZEE-MA), Luiz Jorge Bezerra Dias, elogiou a importância da oficina para o Estado e, inclusive, um dos seus objetivos que prioriza a participação coletiva.
 
“O eixo territorial é um dos principais eixos para diagnóstico e prognóstico em qualquer arranjo territorial. Em Morros, foi produtiva a participação da sociedade civil e sobretudo dos agentes públicos municipais no tocante a discussão sobre os aspectos e problemáticas relativas ao ordenamento do uso do solo e da terra, aos processos de regularização fundiária e também aos assuntos relacionados a sócio-economia e a  sócio-diversidade municipal.
 
A oficina também foi elogiada pelo secretário de administração de Morros, Rodrigo Santana, que, na ocasião, representou o prefeito do município, Sidrack Feitosa. “É muito importante este trabalho para Morros, pois reforça o potencial do município. O evento traz uma discussão de uma situação regionalizada e uma visibilidade pra Morros, além de permitir que agentes do setor público e privado tenham a oportunidade de interagir e obter informações”, pontuou. “São informações muito importantes para quem quer empreender e investir em pontos estratégicos no município”, acrescentou o secretário.
 
A partir do levantamento de dados e informações em pesquisas de campo, realização de entrevistas e aplicação de questionários, observação direta intensiva e registro fotográfico, os técnicos organizaram as informações que foram discutidas e complementadas pela comunidade, construindo uma visão compartilhada dos problemas e potencialidades de cada município da Grande São Luís.
 
O Diagnóstico da Região metropolitana será elaborado de forma participativa, com o aporte da visão e das demandas dos gestores e de representantes da sociedade civil das treze municipalidades envolvidas, servindo também como base para a identificação das funções de uso comum, das macrodiretrizes e do macrozoneamento da Região Metropolitana da Grande São Luís.
 
Além dos estudos, o Instituto vai realizar um conjunto de mapas temáticos representativos de várias dimensões da região.
 
As oficinas serão realizadas, ainda, em outros onze municípios. São eles: Alcântara, Bacabeira, Cachoeira Grande, Icatu, Paço do Lumiar, Presidente Juscelino, Rosário, Raposa, São José de Ribamar, Santa Rita e São Luís.