Dados do Imesc apontam recuperação gradual do emprego formal maranhense em 2017
Publicado em 22/09/2017

Divulgada nesta sexta-feira (22), a Nota Mensal de Mercado de Trabalho no Maranhão referente ao mês de agosto de 2017, elaborada pelo Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc), mostra que o Maranhão foi o Estado com o sexto melhor saldo de empregos formais da Região Nordeste e o décimo do país em agosto de 2017, com a abertura de 1.734 vagas de emprego formal. A versão completa da nota pode ser acessada no link: http://imesc.ma.gov.br/portal/Post/view/21/184

Segundo os dados do Cadastro Geral de Emprego e Desemprego (CAGED/MTE), os setores que mais contribuíram para o resultado positivo no mês de agosto foram a Construção Civil, com abertura de 759 vagas de emprego formal e a Indústria de Transformação, com a abertura de 494 postos de trabalho, concentrada, principalmente, na Indústria de Alimentos. Assim, agosto de 2017 marca o quarto mês consecutivo com resultado positivo, o que sinaliza a recuperação gradual do emprego formal maranhense.

No que diz respeito ao acumulado do ano, as admissões superaram as demissões em 313 empregos no Maranhão. A abertura de postos de trabalho foi puxada pelo setor de Serviços e Construção Civil, com abertura de 2 mil e 899 novas vagas, respectivamente. Por outro lado, o Comércio Varejista aparece como o subsetor de maior desmobilização de mão de obra formal, com a perda de 3 mil vagas de empregos com carteira.

O economista do Imesc, Geilson Pestana, destacou a abertura de vagas na capital do Estado. “São Luís registrou o maior número de contratações líquidas, entre os municípios maranhenses, em agosto de 2017, finalizando o mês com 831 novas vagas. Os setores que contribuíram para esse resultado positivo foram as 356 vagas da Indústria de Transformação e 345 na Construção Civil”, aponta o economista.

Já no mercado de trabalho formal brasileiro, foram criadas 35,5 mil vagas de emprego formal em agosto de 2017, registrando o quinto mês consecutivo de recuperação do emprego formal. Todas as regiões do país apresentaram desempenho positivo em agosto, sobretudo, no Nordeste e no Sul, com 20 mil e 5,9 mil novas vagas, respectivamente.