Serviços e Comércio geraram 10,9 mil vagas adicionais de emprego no Maranhão em 2018
Publicado em 25/01/2019

Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), seis setores apresentaram desempenho positivo no mercado de trabalho formal maranhense em 2018, com destaque para Serviços e o Comércio, com 8,6 mil e 2,3 mil novas vagas de emprego, respectivamente.

Em contrapartida, o subsetor de Construção Civil, em um cenário de ainda forte recessão na concessão de financiamentos imobiliários,  continuou, pelo 4º ano seguido, desmobilizando trabalhadores (-3,3 mil).

A análise dos dados divulgados pelo Caged, foi divulgada nesta quinta-feira (24), pelo Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc). A nota completa sobre os resultados para o mês de dezembro de 2018, pode ser lida acessando o link: http://imesc.ma.gov.br/portal/Post/view/21/274

Em 2018, o emprego formal maranhense registrou crescimento de 2,2% em relação ao número de vagas existentes, marcando a maior taxa entre os Estados do Nordeste. O Maranhão finalizou o ano com 9,6 mil contratações líquidas, sinalizando um maior dinamismo da atividade econômica em relação a 2017, quando fechou o ano com 1,2 mil contratações.

O setor de líder em contratações em 2018 - Serviços - teve a geração de emprego formal alavancada pelo município São Luís. Neste segmento, foram abertas cerca de 1,1 mil vagas para técnicos em enfermagem em 2018 na capital do Estado.

O economista do Imesc, Geilson Pestana, explica que o aumento das contratações pode estar relacionado aos novos empreendimentos hospitalares na capital. “Podemos citar o novo Hospital do Servidor do Governo do Estado, inaugurado em 2018, com 18 novas clínicas. Além disso, o concurso público realizado pela EMSERH (Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares), que garantiu novas vagas para os hospitais de São Luís”, explica Geilson.

Outro empreendimento que pode ter contribuído para esse resultado foi a aquisição do Hospital UDI pela Rede D’Or São Luiz, que realizou investimentos em infraestrutura e ampliação do número de atendimentos.

Mercado de Trabalho no Brasil e Nordeste

No mercado de trabalho nacional, foram geradas mais de 529,5 mil vagas adicionais no ano de 2018, configurando o maior registro dos últimos cinco anos. Dentre os setores, observou-se o maior aumento do nível de emprego nos setores Serviços e Comércio, com 398,6 mil e 102 mil novas vagas, respectivamente.

Quanto a distribuição regional, todas as regiões registraram demissões líquidas no mês de dezembro, com maior predominância nas Regiões Sudeste e Sul, com 167,2 mil e 71,7 mil demissões, respectivamente. Por outro lado, no acumulado de 2018, todas as regiões apresentaram saldo positivo, com resultados superiores comparados ao ano anterior.