Maranhão registra 12,5 mil empregos formais entre janeiro e novembro de 2018
Publicado em 24/12/2018
O registro da abertura de 12,5 mil empregos formais no Maranhão entre janeiro e novembro de 2018, marca o maior resultado para o período desde 2013. A análise dos dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), foi divulgada nesta sexta-feira (21), pelo Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc). A nota completa sobre os resultados para o mês de novembro, pode ser lida acessando link: http://imesc.ma.gov.br/portal/Post/view/21/268 
 
No acumulado até novembro de 2018 foram registradas 12,5 mil contratações líquidas,mantendo uma variação positiva de 8,8 mil vagas em relação ao mesmo período de 2017. Foi o maior resultado para o período desde 2013, quando foram registradas 24,2 mil novas vagas, sendo o quarto maior registro do Nordeste e o décimo sexto do país. Já no recorte por setor, os maiores saldos de empregos formais estão concentrados nos setores de Serviços e Comércio, com abertura de 9,6 mil e 2,3 mil, respectivamente.
 
O setor de Serviços impulsionou a geração de emprego formal na maioria dos municípios maranhenses no acumulado de 2018, com destaque para São Luís, que criou 7,8 mil empregos formais no setor.
 
No mês de novembro foram fechadas liquidamente 280 vagas de emprego formal, ou seja, número de demissões foi maior que o de contratações. A Indústria de Transformação concentrou a maior parte das demissões líquidas, enquanto que o Comércio e Administração Pública seguem registrando contratações líquidas.
 
O economista do Imesc, Rafael Silva, explica os resultados de novembro. “Os resultados setoriais ajustam-se à sazonalidade do período, que normalmente registra aumento de contratações nos segmentos do Comércio, em virtude do período de festas do fim de ano e Agropecuária, devido ao fim do ciclo fenológico da cana-de-açúcar”, explicou.
 
Mercado de trabalho brasileiro
 
No mês de novembro, o mercado de trabalho formal brasileiro gerou 58,7 mil postos de trabalho, assinalando o melhor resultado para o mês desde 2010. O maior saldo positivo do acumulado deste ano foi registrado no Comércio e Serviços, com 88,6 mil e 34,3 mil novas vagas, respectivamente.