Presidente do Imesc fala sobre as perspectivas de crescimento do Maranhão pós-crise em Fórum da FIEMA
Publicado em 30/04/2018

O presidente do Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc), Felipe de Holanda, participou do Fórum Permanente da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema), nesta sexta-feira (27). Na oportunidade, o presidente do Imesc realizou conferência sobre “A economia do Maranhão no pós-crise”.

O presidente da FIEMA, Edilson Baldez, falou da importância de levar o Imesc para as discussões durante o Fórum. “Convidamos Felipe de Holanda para a discussão de pontos estratégicos para o desenvolvimento industrial do estado. Hoje nós absorvemos informações acerca da conjuntura econômica do Maranhão no momento pós-crise e, com base nessas informações caminhos serão traçados, para a partir daí planejarmos as nossas ações para 2018 e 2019”, explica o presidente da Federação.

Para Felipe de Holanda foi uma oportunidade singular para apresentar e discutir os resultados das ações realizadas no aprimoramento do sistema de planejamento público do Estado. “Esse é um importante espaço para pensarmos em temas comuns relacionados ao desenvolvimento com uma visão de médio e longo prazo, voltada para a construção de um plano de desenvolvimento do Estado do Maranhão com foco em 2030”, comenta.

Em sua conferência, o presidente do Imesc analisou os cenários internacional, nacional e estadual, apontando os números relativos aos dados socioeconômicos dos últimos anos e apontando as perspectivas de crescimento para os próximos anos. Felipe de Holanda levantou também em discussão a proposta de planejamento do Estado, que consiste no aprimoramento do planejamento territorial, com a sua regionalização na escala específica de intervenção, alinhados juntamente com o sistema estadual de informações e um plano de desenvolvimento de 2030.

“Temos neste momento privilegiado de nosso Estado, não obstante as dificuldades da conjuntura nacional, a realização de três grandes estudos territoriais – O Censo Agropecuário (IBGE), o Zoneamento Ecológico-Econômico do Bioma Amazônico Maranhense (ZEE-MA) e o Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado da Região Metropolitana de São Luís – PDDI. Assim como o Fórum Permanente da FIEMA e a estratégia dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – ODS, do PNUD e da ONU, também adotamos o marco de 2030 para pensar os temas centrais ligados ao desenvolvimento sustentável do Estado do Maranhão”, explica.

“Teremos ao longo do ano vários importantes eventos que trarão visibilidade às demandas do Sistema de Planejamento Público e Privado no Estado, a exemplo da realização de novos convênios com o IBGE e o IPEA, a incorporação do Estado do Maranhão à Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física – PIM-PF, a criação de um Sistema Estadual de Informações. Queremos construir pautas e propostas para estes eventos de visibilidade nacional, em diálogo e colaboração com a FIEMA. Todos estes avanços institucionais têm sido possibilitados pelo apoio permanente do Governador Flávio Dino no fortalecimento dos órgãos ligados ao Sistema de Planejamento e às práticas de elaboração de diagnósticos, e de realização de monitoramento e avaliação das políticas públicas,” finaliza o presidente.

O coordenador de ações estratégicas da FIEMA, José Henrique Polary, considera o objetivo do Fórum colocar em discussão a economia do Estado, particularmente com o foco Industrial, que é o campo de interesse da FIEMA, gerando assim contribuições para a sociedade em geral.

“A busca dos conselheiros pelos conhecimentos do Imesc foi motivada pelo momento de saída da crise econômica e as expectativas das estratégias que serão utilizadas desse momento em diante”, explica José Henrique Polary.

O Fórum Permanente visa fomentar a discussão sobre o desenvolvimento econômico do Estado entre a classe empresarial, no intuito de encontrar soluções que possam alavancar o desenvolvimento do Maranhão. É composto por dirigentes dos conselhos temáticos (conselhos de meio ambiente, de infraestrutura e obras, de política econômica e legislativa, de relação do trabalho e desenvolvimento sindical, de política industrial e desenvolvimento tecnológico e de micro e pequenas empresas), empresários, representantes de sindicatos patronais e de entidades de desenvolvimento da indústria no Maranhão, diretor regional do Senai, superintendente do Sesi, do IEL e da FIEMA, e é presidido pelo presidente da FIEMA.