Imesc realiza o minicurso “Introdução ao ZEE-MA” para universitários da UEMA, UFMA e IFMA
Publicado em 13/04/2018
Formar capacidade técnica no Estado do Maranhão. Este foi um dos objetivos do minicurso “Introdução ao Zoneamento Ecológico-Econômico do Maranhão”, realizado nesta sexta-feira (13), no auditório do Centro de Educação, Ciências Exatas e Naturais (Cecen), do Campus Paulo VI, da Universidade Estadual do Maranhão.
 
O evento contou com mais de 80 inscritos e foi destinado a estudantes universitários da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Instituto Federal do Maranhão (IFMA) e UEMA.
 
Comandado pelo coordenador estadual do ZEE-MA, Luiz Jorge Bezerra Dias, o minicurso reforça a importância do zoneamento ecológico-econômico no Estado, avaliando sua dimensão social participativa, que passa pela sensibilização comunitária de formadores de opinião, debatendo sobre o que vem a ser a metodologia de trabalho do ZEE-MA e sobre as suas principais abordagens interdisciplinares.
 
“Um dos objetivos deste minicurso é alcançar os universitários dos cursos afins às áreas geográficas, sociais, e ambientais, mantendo uma interrelação muito estreita com o ZEE-MA, considerando o ZEE como um item interdisciplinar, que vai orientar políticas públicas”, afirmou Luiz Jorge.
 
Para o coordenador, os estudantes “tem uma capacidade discursiva muito grande, que estão em processo de formação. O ZEE vai contribuir para que eles sejam aprimorados, discursivamente, tecnicamente, naquilo que é o ordenamento e planejamento do território”, acrescentou.
 
Priorizando formar capacidade técnica no Estado, o minicurso contará, posteriormente, com uma série de eventos de qualificação ligados a profissionais de diversas áreas, alunos de graduação e pós-graduação, e à sociedade civil. Em maio, a apresentação ocorrerá na Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (Uemasul). Até julho, serão realizadas mais sete formações.
 
“Com essas qualificações, nós vamos ter aprimoramento de capacidade técnica, estreitamento dessa relação do ZEE institucionalmente com os formadores de opinião e ter condições para agregar valor ao processo e ao debate qualitativo dos alunos de graduação em seu processo formativo. E, quem sabe, mesmo além”, finalizou o coordenador. 
 
Para a estudante universitária Rafaela Carvalho Pacheco, do curso de Geografia Bacharelado da UEMA, conhecer sobre o ZEE é um passo fundamental para descobrir sobre o que é pensado para o futuro do Estado do Maranhão. “Me aprofundar no ZEE é poder entender as atividades que são desenvolvidas, as pesquisas elaboradas e identificar quais atividades podem ser feitas e onde elas podem ser direcionadas”, analisou.
 
Segundo o coordenador de assuntos estudantis do curso de Geografia, Antônio José, o evento é de extrema importância na formação do geógrafo. “O ZEE-MA é um meio de se conhecer as potencialidades e as fragilidades do Maranhão, que diz respeito a todos os maranhenses. Por isso a importância deste minicurso para se descobrir ainda mais sobre o nosso Estado”, concluiu.
 
Diálogos
 
Recentemente, o Imesc recebeu representantes do Sindicato Rural de Imperatriz (SINRURAL) e da Companhia Suzano Papel e Celulose para apresentar dados sobre o planejamento de execução do ZEE-MA.
 
Sobre o ZEE
 
Instrumento de orientação para a formulação e espacialização das políticas públicas de desenvolvimento sócio-produtivo e ambiental do Estado, a elaboração do Zoneamento Ecológico-Econômico produzirá o ordenamento territorial do Maranhão, assim como servirá para as tomadas de decisões de investimento dos agentes públicos e privados.