Varejo maranhense cresceu 9,1% em setembro, em comparação com o mesmo mês do ano anterior, aponta Imesc
Publicado em 20/11/2017
A Nota de Comércio Varejista do Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc), divulgada nesta sexta-feira (17), aponta que no mês de setembro de 2017, o volume de vendas do comércio varejista restrito maranhense obteve crescimento de 9,1%, em comparação ao mesmo mês do ano passado. A análise completa do Comércio Varejista encontra-se disponível no site do Imesc, pelo link: http://imesc.ma.gov.br/portal/Post/view/20/199.
 
O desempenho anual das vendas do varejo restrito e do ampliado maranhense mantém a tendência de amenização do ritmo de queda, observada a partir do segundo semestre de 2016. No mês de setembro, o volume de vendas do varejo restrito maranhense reduziu 0,5% em relação ao mês de agosto de 2017. Já em comparação a setembro de 2016, o comércio varejista restrito apresentou crescimento de 9,1%. Nos últimos 12 meses, encerrados em setembro de 2017, o volume de vendas do comércio varejista restrito maranhense foi de 1,4%.
 
Quanto ao varejo ampliado – que inclui o varejo restrito, às vendas de veículos e motocicletas e também materiais de construção –, na comparação com o mesmo mês do ano anterior, houve expansão de 13,5% nas vendas físicas, a quinta taxa consecutiva de crescimento no ano nessa base de comparação. No acumulado de 12 meses, encerrados em setembro, o volume de vendas do varejo ampliado foi de 2,5%.
 
Segundo a economista do Imesc, Marlana Portilho: “o ajuste dos preços relativos, tais como inflação e a taxa de juros, principalmente o primeiro, vem contribuindo para a retomada da economia brasileira, o que reflete na recuperação no volume de vendas do varejo maranhense”.
 
Cenário nacional
 
Em âmbito nacional, o volume de vendas do comércio varejista restrito cresceu em setembro 0,5% em relação ao mês anterior. Contra o mesmo mês do ano anterior, o volume de vendas registrou aumento de 6,4%, a sexta alta consecutiva nessa base de comparação. No acumulado dos últimos 12 meses, encerrados em setembro de 2017, obteve taxa de -0,6%, o que demonstra a trajetória de recuperação, iniciada em outubro de 2016.
 
No acumulado do ano, o varejo ampliado apresentou expansão de 2,7%, sendo que a atividade de Material de construção apresentou expansão de 7,5% e Veículos, motocicletas, partes e peças registrou crescimento de 0,5%.
 
Assim, os principais setores que vêm contribuindo para a retomada do volume de vendas do varejo brasileiro em 2017, no acumulado do ano, são: Móveis e eletrodomésticos (+8,8%), Tecidos, vestuário e calçados (+7,8%) e Material de construção (+7,5%).
 
Sobre a nota
 
A nota analisa o comportamento do comércio varejista por meio dos dados da Pesquisa Mensal do Comércio - PMC, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE; e das pesquisas de Endividamento e Inadimplência e Intenção de Consumo das Famílias Ludovicenses, ambas realizadas pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Maranhão - Fecomércio.
 
É realizada uma abordagem sobre o desempenho do volume de vendas do comércio varejista nas modalidades restrito e ampliado em âmbito Nacional e Estadual, assim como da evolução da sondagem de consumo e nível de endividamento das famílias ludovicenses. Trata-se de indicadores importantes para avaliar os impactos do consumo privado sobre a atividade econômica.