Maranhão registra queda de 6,4 mil demissões líquidas em relação ao primeiro quadrimestre de 2016
Publicado em 18/05/2017

A Nota Mensal de Mercado de Trabalho no Maranhão referente ao mês de abril de 2017 e divulgada nesta quarta-feira (17) pelo Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc), mostra que foram registradas 1.159 demissões líquidas no estado, índice bem menor do que o registrado no mesmo período de 2016, quando o estado perdeu 3.031 vagas.

Produzida por pesquisadores do Imesc, de acordo com os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), a nota mostra que também houve atenuação de demissões líquidas no primeiro quadrimestre do ano. Foram registradas 7,2 mil demissões líquidas no 1° quadrimestre de 2017, uma queda de 6,4 mil desligamentos líquidos em relação ao mesmo período de 2016. 

Para o economista do Imesc, Geilson Pestana, a atenuação nas demissões pode estar relacionada aos investimentos governamentais em obras rodoviárias: “Na atividade de Construção Civil, por exemplo, nota-se que as Obras de Infraestrutura concentram aproximadamente 58% do saldo de empregos registrados no setor. Nessa atividade, verifica-se atenuação de aproximadamente 3,3 mil demissões na comparação com o acumulado até abril de 2016, fato que pode estar relacionado aos investimentos em execução do Governo do Estado, nas rodovias MA’s 201, 202, 012, 234,106 e 401”, analisa.

A Nota de Mercado de Trabalho do Imesc disponibiliza informações sobre a dinâmica do mercado de trabalho formal por setores e subsetores. Em abril, o Comércio (tanto atacadista, quanto varejista) perdeu 886 vagas, já no setor de Agropecuária houve decréscimo de 363 vagas.

Municípios

No acumulado do primeiro quadrimestre de 2017, as maiores demissões líquidas nos municípios maranhenses foram registradas nos setores da Comércio e Construção Civil. Em contraponto, Balsas é líder na criação de emprego formal, em movimento impulsionado pelo setor Agropecuário.

Além de Balsas, com 289 empregos, destacam-se os municípios Paço do Lumiar (+142), Tasso Fragoso (+129) e Barra do Corda (+121).

Cenário Nacional

Segundo os dados do CAGED, em abril de 2017 foi registrada a abertura de 59,9 mil postos de trabalho no país, o que representa o primeiro saldo positivo para o mês desde 2014, quando foram criadas 105 mil vagas. Já no acumulado de janeiro a abril de 2017, foram fechadas 933 vagas no Brasil, o que significa uma suavização expressiva nas demissões líquidas em relação ao 1º quadrimestre de 2016, de mais 365 mil postos de trabalho.

Veja a publicação pelo link: http://imesc.ma.gov.br/portal/Post/view/21/154